terça-feira, 29 de julho de 2014

Dilson Peixoto Será o Candidato à Federal do Prefeito Daniel Almeida

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
07:48


Na foto: Nilda do Sindicato, Dilson Peixoto,
Daniel Almeida e Antônio Barbosa (Vei).
O prefeito Daniel Almeida e o seu grupo político no município de Vertente do Lério, estava certo para apoiar o deputado federal Danilo Cabral em sua corrida eleitoral em busca da reeleição à câmara federal.

Acontece que, após Almeida comunicar ao deputado que iria seguir com os candidatos que o seu partido (PT) segue rumo às eleições de 05 de Outubro, o parlamentar Danilo Cabral falou “ que é muito amigo de Paulo Câmara (PSB), candidato ao governo de Pernambuco, e portanto não aceitaria um apoio do prefeito e seu grupo, apenas a sua candidatura à reeleição”, que só aceitava, se o prefeito seguisse com todos os candidatos que ele (Danilo) está pedindo votos.

Diante do ocorrido, o prefeito Daniel Almeida teve que optar em buscar de um outra nome para a câmara federal, e assim aconteceu, no último domingo (27), o candidato Dilson Peixoto esteve na cidade administrada pelo prefeito, para uma conversa com o mesmo, a qual foi acompanhada por Antônio Barbosa (Vei) secretário de infra – estrutura e por Nilda do Sindicato presidente do PT local.

Após a conversa, segundo o que foi repassado a esse blog, será marcada uma data para o inicio do mês de Agosto, onde Almeida apresentará oficialmente aos seus munícipes, Dilson Peixoto como sendo o candidato a deputado federal do seu grupo político no município.

Após esta definição;  Fica assim a chapa que contará com apoio do gestor Daniel Almeida:

Deputado Estadual  - Henrique Queiroz, Federal - Dilson Peixoto, Governador - Armando Monteiro e Dilma Rouseff – Presidenta.

Por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro – 29/07/2014

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Deu a Louca no Convento

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
08:35

Calma, “Deu a Louca no Convento, é o nome do espetáculo que será apresentado neste sábado (26) e domingo (27) ás 20h no teatro Rui Limeira Rosal – Sesc da cidade de Caruaru, pelo Grupo Teatral Eutopo.

O espetáculo “Deu a Louca no Convento” escrito por Ednilson Leite, conta de forma bem humorada, a chegada de uma freira ao convento de uma pequena cidade interiorana, cria-se uma grande expectativa e curiosidade, pois a mesma vem de um convento situado no meio de uma favela, começando um drama que aos poucos vai surgindo uma verdadeira comédia.

Uma freira rebelde e desenrolada, tirando a “paz e a tranquilidade” de um convento tradicional, que prega a moral e a doutrina da ordem.

 O espetáculo tem à seguinte Ficha Técnica:


Texto/Direção: Ednilson Leite
Elenco:              Irmã Joaventina           __________ Ednilson Leite
Irmã Raimunda             __________ Alexsander Lee
Irmã Siforosa                 __________ Diego Simões
Reverenda Madre         __________ Sidney Giovenazze


Contra Regra                                  __________ Zaia Braz Junior
Execução de Luz                            __________ Wendel Mendonça
Execução de Som                          __________ Naldo Venâncio
Plano de Luz – Cenografia           __________ Ednilson Leite
Pesquisa de Sonoplastia              __________ Alexsander Lee e Ednilson Leite
Figurino                                          __________ Sônia Moura e Índia
Maquiagem                                   __________ O Grupo


Vale a Pena Conferir “Deu a Louca no Convento”.  Ingressos: Preço Único de R$ 10 Dez Reais.

Informações e Contato:
Ednilson Leite
(81) 9470-1372

Fonte: Ednilson Leite/Autor e Diretor do Espetáculo
Por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro – 25/07/2014


Cinco fatos curiosos sobre a traição

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
04:22

(Fonte: Think Stock)
Que o sexo é o principal fator para uma traição ocorrer, a gente já sabe. Porém uma pesquisa realizada com mais de sete mil usuários no site AshleyMadison.com mostra que a qualidade do sexo entre casais pode indicar traição.

O tempo médio na cama e a quantidade de vezes seguidas que o sexo acontece são grandes indicadores de que alguém está pulando a cerca no relacionamento. Veja cinco curiosidades sobre a traição e compare as diferenças entre o sexo com o amante e o sexo com o parceiro.

1)     Tempo médio do sexo

Ao que o estudo indica, os amantes fazem quatro vezes mais sexo acima de 30 minutos do que os casais. Além disso, 91% dos participantes casados transam durante 5 a 10 minutos, enquanto que apenas 45% dos amantes fazem o mesmo.

2)    Quantidade de vezes seguidas que o sexo acontece

6% dos entrevistados revelaram fazer sexo até três vezes seguidas com o amante, enquanto só 1% dos casados admitiram chegar a esse número. Mas o baixo desempenho dos compromissados não para por aí: 89% dos mesmos não repetem a dose na cama. E somente 40% dos amantes agem desta forma.

3)    Melhor época do ano para pular a cerca

Em geral, a época considerada mais propícia para dar uma escapadinha pelos entrevistados é o inverno, com 39% dos votos. Em segundo lugar vem o verão com 25%, seguido dos que acham que a época do ano é indiferente com 23% dos votos e, por último, nas férias escolares dos filhos com 13%.

4)    Estratégia para não ser pego no flagra

O álibi mais usado por quem comete traição é o trabalho. Dos participantes, 39% revelaram que a melhor estratégia é ligar avisando que vai chegar mais tarde por conta do trabalho, enquanto 28% preferem a desculpa de que vão dar uma esticadinha no bar com os amigos, e 33% acham melhor não ligar (seja para não dar bandeira ou porque “não deve satisfação a ninguém”).

5)    Melhores lugares para escapar com o amante

O refúgio da maioria dos amantes, sem dúvidas, é o motel. 43% dos entrevistados preferem um lugar discreto, como um motel longe de casa. 35% também gostam de lugares discretos, desde que sejam práticos e de fácil acesso. Por outro lado, o restante prefere lugares movimentados com a condição de serem fora do circuito da parceira, ou simplesmente porque o risco os excita.

Fonte: Sexo Oposto/ Por Danilo Barba 
Postado por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro -25/07/2014



quinta-feira, 24 de julho de 2014

Rondonistas Permanecem em Vertente do Lério

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
04:14

(Foto: Ana Veber)
A equipe do projeto Rondon, aportou na terra do calcário no último domingo (20), e permanecem no município até o dia (31), realizando várias atividades com a comunidade local.

A apresentação oficial dos professores e alunos das universidades (UEPG) universidade de Ponta Grossa e (UCS) universidade de Caxias do Sul, que fazem parte do projeto, se deu na última segunda feira dia (21) no prédio da casa João Dias de Sales (Câmara Municipal), e de lá para cá, eles tem mantido um contato permanente com ás pessoas de diversas localidades do município.

Os mesmo trazem na bagagem experiências em diversas áreas, e estão compartilhando com a população da terra do calcário, em um verdadeira troca de experiências.

 Ás oficinas e atividades realizadas por eles são inteiramente gratuitas, interessados devem procurar a prefeitura da cidade ou ligar para 081 – 3634 -7156 para mais informações.

Isto é fruto de uma parceria entre o governo municipal na pessoa do prefeito Daniel Almeida, com o Ministério da Defesa e ás universidades.
 
(Foto: Ana Veber)
Por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro -24/07/2014


Agora é Oficial; Morre Ariano Suassuna e a Cultura do Brasil Fica mais Pobre.

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
03:26

O corpo do escritor Ariano Suassuna começou a ser velado no Palácio do Campo das Princesas, no Centro do Recife, ainda na noite de quarta (23). Por volta das 22h55, o caixão foi recebido por familiares, amigos e políticos, que participaram de uma celebração religiosa. As portas do palácio, que é sede do governo de Pernambuco, só foram abertas ao público por volta das 23h30, meia hora após o previsto inicialmente. Ariano morreu às 17h15 da quarta, vítima de uma parada cardíaca. Ele estava internado desde a noite de segunda (21) no Hospital Português, onde foi submetido a uma cirurgia na mesma noite após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico.

Além dos familiares, muitos vestidos com a camisa do Sport Club do Recife, time de coração de Ariano, políticos estiveram na cerimônia realizada pelo frei franciscano Aloísio Fragoso. O ex-governador de Pernambuco e candidato à presidência, Eduardo Campos; o atual governador do estado, João Lyra Neto, e o candidato ao Senado e ex-ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho, além de parentes carregaram o caixão para o hall principal do Palácio. Ariano foi secretário de Cultura de Pernambuco e também assessor especial do governo de Campos.


Para a celebração familiar, o caixão foi coberto com as bandeiras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde ele foi professor do curso de Letras, do Estado de Pernambuco e do Brasil. Durante a celebração religiosa, frei Aloísio relembrou a trajetória do dramaturgo e destacou a religiosidade de Ariano. 'Lá em cima, Nossa Senhora pedirá que ele represente a peça O Auto da Compadecida', afirmou.

Na cerimônia, Germana Suassuna, neta de Ariano, leu um texto em homenagem ao avô. Ela destacou que o escritor viveu os últimos dias da forma que queria, no palco. Na última sexta-feira, ele apresentou sua última aula-espetáculo, no Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), no Agreste pernambucano. Germana também destacou o apoio que todos os familiares darão a Zélia Suassuna, agora viúva de Ariano. 'Meu avô foi o homem mais feliz do lado dela. E ela também foi a mulher mais feliz. [...] Meu avô é simplesmente imortal', disse.

Na porta do Palácio, a fila de admiradores, que começou a se formar por volta das 23h, tinha muitos amigos e também fãs da figura pública de Ariano. O policial George Nascimento e sua mãe, Nelma Cristina, encontraram o escritor apenas uma vez na vida, mas guardaram o momento da lembrança. 'Foi numa igreja. Vou sempre lembrar da pessoa que ele foi, um exemplo de ser humano', comentou Nelma.


Amiga da família Suassuna e vizinha de rua de Rita Suassuna, mãe de Ariano, a matemática Jeanine Japiassu relembrou os tempos de adolescência. 'Conheço ele desde os 13 anos de idade, quando ele já era professor da minha irmã. Ele é e sempre será um ícone, uma pessoa que fez arte, criou movimentos como nenhuma outra aqui no Brasil. Agora, ele deixa um vazio”.


(Foto: Estadão Conteúdo)
A previsão é que o velório aconteça durante toda o dia e só termine às 15h desta quinta (24). O corpo será enterrado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, Grande Recife, por volta das 16h.

Fonte: blogdomagnomartins/G1
Postado por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro -24/07/2014


quarta-feira, 23 de julho de 2014

Um intelectual além do seu tempo

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
03:43

Ariano Vilar Suassuna, que agoniza na UTI no hospital Português, é, sem dúvida, um dos maiores escritores do País, um intelectual refinado, preso às suas origens, de sotaque forte, mas talento reconhecido internacionalmente. Desde a infância vive no meio político e intelectual, embora nunca tenha exercido a atividade partidária nem se encantado pelo poder.

Um homem autêntico, de personalidade forte, agarrado as suas raízes sertanejas como nenhum outro ser humano que nasceu nessas bandas de cá. O Mestre berrou para o mundo em Nossa Senhora das Neves, hoje João Pessoa (PB), no dia 16 de junho de 1927, filho de Cássia Vilar e João Suassuna.

No ano seguinte, seu pai deixa o Governo da Paraíba e a família passa a morar no Sertão, na Fazenda Acauã, em Aparecida, Paraíba. Com a Revolução de 1930, seu pai foi assassinado por motivos políticos no Rio de Janeiro e a família mudou-se para Taperoá, onde morou de 1933 a 1937.

Nessa cidade, Ariano fez seus primeiros estudos e assistiu pela primeira vez a uma peça de mamulengos e a um desafio de viola, cujo caráter de “improvisação” seria uma das marcas registradas também da sua produção teatral.

A partir de 1942 passou a viver no Recife, onde terminou, em 1945, os estudos secundários. No ano seguinte iniciou a Faculdade de Direito, onde conheceu Hermilo Borba Filho. E, junto com ele, fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco. Em 1947, escreveu sua primeira peça, Uma Mulher Vestida de Sol.

Em 1948, sua peça Cantam as Harpas de Sião (ou O Desertor de Princesa) foi montada pelo Teatro do Estudante de Pernambuco. Os Homens de Barro foi montada no ano seguinte. Em 1950, formou-se na Faculdade de Direito e recebeu o Prêmio Martins Pena pelo Auto de João da Cruz.

Para curar-se de uma doença pulmonar, viu-se obrigado a mudar-se de novo para Taperoá. Lá escreveu e montou a peça Torturas de um Coração em 1951. Em 1952, volta a residir em Recife. Deste ano a 1956, dedicou-se à advocacia, sem abandonar, porém, a atividade teatral.

São desta época O Castigo da Soberba (1953), O Rico Avarento (1954) e o Auto da Compadecida (1955), peça que o projetou em todo o País e que seria considerada, em 1962, “o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”.  

Ligado diretamente à cultura, iniciou em 1970, em Recife, o “Movimento Armorial”, interessado no desenvolvimento e no conhecimento das formas de expressão populares tradicionais. Na vida pública, atendeu à convocação do amigo Miguel Arraes e assumiu a Secretaria de Cultura (1994-1998).

Em 2002, Ariano Suassuna foi tema de enredo no carnaval carioca na escola de samba Império Serrano; em 2008, foi novamente tema de enredo, desta vez da escola de samba Mancha Verde no carnaval paulista. Em 2013 sua mais famosa obra, o Auto da Compadecida foi o tema da escola de samba Pérola Negra em São Paulo.  

Fonte: blogdomagno.com.br
Postado por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro 23/07/2014

ABL recua e corrige informação: Ariano não morreu

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
03:40

A Academia Brasileira de Letras voltou atrás e negou que o acadêmico Ariano Suassuna, de 87 anos, tenha morrido, como informamos aqui há pouco. Ele permanece internado em Recife após sofrer um AVC. Melhor assim.

Fonte: blogdomagno.com.br
Postado por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro 23/07/2014

terça-feira, 22 de julho de 2014

Cultura em Luto: Morre Ariano Suassuna

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
14:31

A Academia Brasileira de Letras está informando aos seus integrantes que morreu no Recife, aos 87 anos, Ariano Suassuna, conforme  antecipou em primeira mão o blog do Magno Martins. Informa ainda que em três semanas este é o terceiro acadêmico a falecer. Pela ordem, dia 3 Ivan Junqueira, sexta-feira passada João Ubaldo Ribeiro.

Ariano Vilar Suassuna nasceu em Nossa Senhora das Neves, hoje João Pessoa (PB), no dia 16 de junho de 1927, filho de Cássia Vilar e João Suassuna. No ano seguinte, seu pai deixa o governo da Paraíba e a família passa a morar no Sertão, na Fazenda Acauã, em Aparecida, Paraíba.

Com a Revolução de 1930, seu pai foi assassinado por motivos políticos no Rio de Janeiro e a família mudou-se para Taperoá, onde morou de 1933 a 1937. Nessa cidade, Ariano fez seus primeiros estudos e assistiu pela primeira vez a uma peça de mamulengos e a um desafio de viola, cujo caráter de “improvisação” seria uma das marcas registradas também da sua produção teatral.

A partir de 1942 passou a viver no Recife, onde terminou, em 1945, os estudos secundários no Ginásio Pernambucano, no Colégio Americano Batista e no Colégio Osvaldo Cruz. No ano seguinte iniciou a Faculdade de Direito, onde conheceu Hermilo Borba Filho. E, junto com ele, fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco. Em 1947, escreveu sua primeira peça, Uma Mulher Vestida de Sol. Em 1948, sua peça Cantam as Harpas de Sião (ou O Desertor de Princesa) foi montada pelo Teatro do Estudante de Pernambuco. Os Homens de Barro foi montada no ano seguinte.

Em 1950, formou-se na Faculdade de Direito e recebeu o Prêmio Martins Pena pelo Auto de João da Cruz. Para curar-se de doença pulmonar, viu-se obrigado a mudar-se de novo para Taperoá. Lá escreveu e montou a peça Torturas de um Coração em 1951. Em 1952, volta a residir em Recife. Deste ano a 1956, dedicou-se à advocacia, sem abandonar, porém, a atividade teatral. São desta época O Castigo da Soberba (1953), O Rico Avarento (1954) e o Auto da Compadecida (1955), peça que o projetou em todo o país e que seria considerada, em 1962, por Sábato Magaldi “o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”.

Em 1956, abandonou a advocacia para tornar-se professor de Estética na Universidade Federal de Pernambuco. No ano seguinte foi encenada a sua peça O Casamento Suspeitoso, em São Paulo, pela Cia. Sérgio Cardoso, e O Santo e a Porca; em 1958, foi encenada a sua peça O Homem da Vaca e o Poder da Fortuna; em 1959, A Pena e a Lei, premiada dez anos depois no Festival Latino-Americano de Teatro.

Em 1959, em companhia de Hermilo Borba Filho, fundou o Teatro Popular do Nordeste, que montou em seguida a Farsa da Boa Preguiça (1960) e A Caseira e a Catarina (1962). No início dos anos 60, interrompeu sua bem-sucedida carreira de dramaturgo para dedicar-se às aulas de Estética na UFPE. Ali, em 1976, defende a tese de livre-docência A Onça Castanha e a Ilha Brasil: Uma Reflexão sobre a Cultura Brasileira. Aposenta-se como professor em 1994.

Membro fundador do Conselho Federal de Cultura (1967); nomeado, pelo Reitor Murilo Guimarães, diretor do Departamento de Extensão Cultural da UFPE (1969). Ligado diretamente à cultura, iniciou em 1970, em Recife, o “Movimento Armorial”, interessado no desenvolvimento e no conhecimento das formas de expressão populares tradicionais. Convocou nomes expressivos da música para procurarem uma música erudita nordestina que viesse juntar-se ao movimento, lançado em Recife, em 18 de outubro de 1970, com o concerto “Três Séculos de Música Nordestina – do Barroco ao Armorial” e com uma exposição de gravura, pintura e escultura. Secretário de Cultura do Estado de Pernambuco, no Governo Miguel Arraes (1994-1998).

Entre 1958-79, dedicou-se também à prosa de ficção, publicando o Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta (1971) e História d’O Rei Degolado nas Caatingas do Sertão / Ao Sol da Onça Caetana (1976), classificados por ele de “romance armorial-popular brasileiro”.

Ariano Suassuna construiu em São José do Belmonte, onde ocorre a cavalgada inspirada no Romance d’A Pedra do Reino, um santuário ao ar livre, constituído de 16 esculturas de pedra, com 3,50 m de altura cada, dispostas em círculo, representando o sagrado e o profano. As três primeiras são imagens de Jesus Cristo, Nossa Senhora e São José, o padroeiro do município.

Membro da Academia Paraibana de Letras e Doutor Honoris Causa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2000).

Em 2004, com o apoio da ABL, a Trinca Filmes produziu um documentário intitulado O Sertão: Mundo de Ariano Suassuna, dirigido por Douglas Machado e que foi exibido na Sala José de Alencar.
Ariano Suassuna, durante evento pró-eqüidade de gênero e diversidade, em Brasília, 2007.

Em 2002, Ariano Suassuna foi tema de enredo no carnaval carioca na escola de samba Império Serrano; em 2008, foi novamente tema de enredo, desta vez da escola de samba Mancha Verde no carnaval paulista. Em 2013 sua mais famosa obra, o Auto da Compadecida será o tema da escola de samba Pérola Negra em São Paulo.

Em 2006, foi concedido título de doutor honoris causa pela Universidade Federal do Ceará, mas que veio a ser entregue apenas em 10 de junho de 2010, às vésperas de completar 83 anos. "Podia até parecer que não queria receber a honraria, mas era problemas de agenda", afirmou Ariano, referindo-se ao tempo entre a concessão e o recebimento do título.2
Ariano Suassuna é um torcedor fanático do Sport Club do Recife.3
Estudos

Em 1942, ainda adolescente, Ariano Suassuna muda-se para cidade do Recife, no vizinho estado de Pernambuco, onde passou a residir definitivamente. Estudou o antigo ensino ginasial no renomado Colégio Americano Batista, e o antigo colegial (ensino médio), no tradicionalíssimo Ginásio Pernambucano e, posteriormente, no Colégio Oswaldo Cruz. Posteriormente, Ariano Suassuna concluiu seu estudo superior em Direito (1950), na célebre Faculdade de Direito do Recife, e em Filosofia (1964).

De formação calvinista e posteriormente agnóstico, converteu-se ao catolicismo, o que viria a marcar definitivamente a sua obra.4
Ariano Suassuna estreou seus dons literários precocemente no dia 7 de outubro de 1945, quando o seu poema "Noturno" foi publicado em destaque no Jornal do Commercio do Recife.
Advocacia e teatro

Na Faculdade de Direito do Recife, conheceu Hermilo Borba Filho, com quem fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco. Em 1947, escreveu sua primeira peça, Uma mulher vestida de Sol. Em 1948, sua peça Cantam as harpas de Sião (ou O desertor de Princesa) foi montada pelo Teatro do Estudante de Pernambuco. Seguiram-se Auto de João da Cruz, de 1950, que recebeu o Prêmio Martins Pena, o aclamado Auto da Compadecida, de 1955, O Santo e a Porca - O Casamento Suspeitoso, de 1957, A Pena e a Lei, de 1959, A Farsa da Boa Preguiça, de 1960, e A Caseira e a Catarina, de 1961.

Entre 1951 e 1952, volta a Sousa, para curar-se de uma doença pulmonar. Lá escreveu e montou Torturas de um coração. Em seguida, retorna a Recife, onde, até 1956, dedica-se à advocacia e ao teatro.

Em 1955, Auto da Compadecida o projetou em todo o país. Em 1962, o crítico teatral Sábato Magaldi diria que a peça é "o texto mais popular do moderno teatro brasileiro". Sua obra mais conhecida, já foi montada exaustivamente por grupos de todo o país, além de ter sido adaptada para a televisão e para o cinema.

Em 1956, afasta-se da advocacia e se torna professor de Estética da Universidade Federal de Pernambuco, onde se aposentaria em 1994. Em 1976, defende sua tese de livre-docência, intitulada "A Onça castanha e a Ilha Brasil: uma reflexão sobre a cultura brasileira".

Ariano acredita que: "Você pode escrever sem erros ortográficos, mas ainda escrevendo com uma linguagem coloquial."

Fonte: blogdomagno
Postado por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro 22/07/2014


Doutor Ivan Alves é Promovido, e Atuará na Capital Pernambucana

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
07:56

(Foto: Divulgação)
O juiz Ivan Alves de Barros, que atua hoje na 1ª Vara da Comarca de Surubim e que foi afastado da função pela Corte Especial do Tribunal de Justiça, a pedido da OAB, acabou sendo promovido e assume em breve a 8ª Vara Criminal do Recife. Informações: blogdomagno.com.br

Relembre o ocorrido neste caso:

OAB-PE OBTÉM NO TJPE, AFASTAMENTO DO JUIZ DA 1ª VARA DA COMARCA DE SURUBIM

Por 9 votos a 4, a Corte Especial do Tribunal de Justiça do Estado de Pernambuco (TJPE), presidido pelo desembargador Frederico Neves, decidiu na noite da segunda-feira, dia 14, afastar da 1ª Vara da Comarca de Surubim, o juiz de direito Ivan Alves de Barros. A deliberação da maioria absoluta dos magistrados – que seguiram o voto do relator, o desembargador Eduardo Paurá -, atende demanda da advocacia pernambucana, em especial de Surubim e região.

Há muito que a OAB-PE e a Subseccional da Ordem no município, tem relatado a forma desrespeitosa e até degradante como o magistrado trata não apenas os advogados, mas também membros do Ministério Público e jurisdicionados. A decisão da corte do TJPE prevê o afastamento do juiz – que já reponde por três outros processos – enquanto perdurar a tramitação do procedimento administrativo disciplinar (PAD), ou seja, até que o Tribunal conclua as investigações sobre os fatos denunciados pela OAB-PE.

Realizada na plenária do 1º andar do prédio sede do TJPE, no Recife, a sessão da Corte Especial foi acompanhada por grandes nomes da Ordem. O presidente Pedro Henrique esteve acompanhado da sua diretoria: a vice-presidente Adriana Rocha Coutinho; o secretário geral Silvio Pessoa de Carvalho Júnior; o secretário adjunto Fernando Ribeiro Lins e o diretor tesoureiro Bruno Baptista. Do conselho federal da entidade, Leonardo Accioly, que também preside a Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas, Henrique Mariano, ex-presidente da Seccional; Pelópidas Neto e Erik Sial. Presidente da CAAPE, Ronnie Preuss Duarte também participou da sessão.

O Conselho Seccional da OAB-PE também prestou seu apoio a causa. Estiveram presentes Antônio Tide, Carlúcia Lapenda, Felipe Guerra, Fernando Araújo, Frederico Duarte, Maurício Bezerra, Nair Andrade e Saulo Amazonas. Das Subseccionais, estiveram os presidentes de Surubim, Belo Jardim, Limoeiro, Olinda e Santa Cruz do Capibaribe. Também presente a vice-presidente de Jaboatão.

“Com esta decisão, o Tribunal restaura e preserva a dignidade da magistratura em Surubim. Saio daqui orgulhoso de nosso judiciário”, destacou o presidente da OAB-PE, Pedro Henrique Reynaldo Alves, ao agradecer pelo resultado. Ele, inclusive, fez a sustentação oral, expondo detalhes das arbitrariedades cometidas pelo juiz de direito Ivan Alves de Barros, em Surubim, dentre elas a perseguição a advogados, através de decisões desfavoráveis, e a intimidação mediante violência e uso de arma de fogo.

“Os magistrados bem sabem da função educativa e de cidadania que estes juízes representam no interior do Estado”, afirmou Pedro Henrique durante sua sustentação. “Em cidades mais distantes como Surubim, o juiz tem papel que extrapola a função judicante. Seu exemplo pessoal é inspirador para a paz social da comunidade”, afirmou. “Um poder que vai além da Lei e, quando bem exercido, um grande contributo do judiciário para a evolução da cidadania”, destacou.

“Desde 2007, os advogados que militam na Comarca de Surubim, vêm apresentando à Comissão de Defesa, Assistência e Prerrogativas da OAB-PE, inúmeras queixas em face da conduta do magistrado em questão, com um aumento significativo desses reclamos a partir de 2010. Isso tinha que acabar”, destacou o presidente Pedro Henrique.

Procurador Geral do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Aguinaldo Fenelon esteve na audiência. “Só acredita quem vai até lá ver o que acontece”, destacou. “Tivemos dificuldades em nomear promotores para a cidade de Surubim porque ninguém quis ir para lá. Estas exceções devem ser combatidas para que não se tornem regra”. Sobre os acessos e desmandos do juiz, Fenelon concluiu: “O que está no papel ainda é pouco”.

Ao anunciar o resultado dos votos, o presidente do TJPE, ressaltou ter sido eleito para lutar pelos interesses do cidadão. “Tenho dever com a instituição que presido”, disse o desembargador Frederico Neves. Informações OAB PE

Opinião deste blog www.sramos.net: agora sim, a região vai reconhecer o valor deste magistrado para a região, pois temos uma cultura erronia de só valorizarmos ás coisas e ás pessoas, depois que as perdemos. Esperamos que por lá, a sociedade saiba valorizar o empenho e a dedicação do profissional Ivan Alves, e não se deixem levar por interesses pessoais e ou “políticos”. Fica aqui o registro de parabéns deste blog ao magistrado Ivan Alves de Barros pela promoção

Por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro – 22/07/2014


Seguidores

Visualizações

FAÇA SUA DENUNCIA

FAÇA SUA DENUNCIA
Promotoria de Justiça – 3624-1956 Conselho Tutelar Surubim -3634-4656 S D S de Surubim – 3634-2710 Delegacia de Surubim – 3624-1974 Delegacia da Mulher – 3624-1983
back to top