segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Toda nudez será respeitada

Postado por: Dc Sergio Ramos  
Marcador:
09:09

      Um take de “302” (foto: divulgação/Jorge Bispo)
O Canal Brasil está exibindo à meia-noite dos sábados o programa “302”, no qual um grupo de mulheres comuns – leia-se nada de “celebridades” – posa nua em frente a uma parede branca, em que se destaca apenas uma pequena tomada (veja o primeiro episódio aqui). Ali não há apelo sexual ou um cunho erótico óbvio, mas o sentido do termo “desnudar-se” nunca foi tão apropriado.
“302” é o desdobramento para a TV do projeto Apartamento 302, do fotógrafo Jorge Bispo. Começou como a maioria das coisas interessantes começam – de forma despretensiosa. A proposta de Bispo era abrir sua casa para que conhecidas e amigas mostrassem sua nudez de forma despojada, sem retoques, sem apelos baratos. Bispo publicava as fotos na página do projeto, que foi ganhando fãs e adeptas. O Apartamento 302 cresceu e, com dinheiro arrecadado pelo sistema de financiamento coletivo, virou livro.
Cresceu também em outro sentido. De momento despojado, em que as mulheres mostravam sua beleza de forma natural, o projeto passou a ser um canal de catarse e reflexão sobre feminilidade e corpo feminino. E, além da intimidade física, passou a mostrar a intimidade psicológica.
É exatamente o que se vê no programa, no qual as mulheres, além de posar, contam suas histórias e razões para topar o desafio. Ao longo de quase 15 minutos esse grupo heterogêneo revela segredos (alguns tristes), dúvidas e inseguranças. Ao final, o espectador se sente um pouco íntimo de cada uma delas.
Conheci o Bispo quando trabalhava na revista “Playboy”. Sujeito tranquilo, fotógrafo de primeira e profissional ponta firme. Subiu dois morros para fazer um ensaio com Valesca Popozuda. Fez outros tantos ensaios para a revista, sempre na maior correção. Seu olhar enxerga a beleza antes de nos tocarmos dela, como um craque que antecipa a jogada antes que o zagueiro a perceba.
“302” me faz pensar em como a questão da nudez feminina é complexa no Brasil. Erotizada nas revistas e na TV, abundante no carnaval, ela – a nudez – é vista com preconceito quando uma moça se entrega ao singelo ato de praticar topless em Ipanema. Como se pertencêssemos a algum país de costumes muçulmanos, vira infração, escândalo, objeto de hostilidade. É incompreensível, na verdade.
Os 15 minutos de “302” mostram o nu feminino como ele deveria ser enxergado: despojado, real, simples e, mesmo assim, belo. Como a nudez de uma namorada que, nua, vai buscar água na cozinha depois do amor. Infelizmente, há quem não veja amor na nudez real. Só posso lamentar.  

Fonte: Tela Plena/br.tv.yahoo.com
Postado por Sérgio Ramos/Repórter e Blogueiro – 29/09/2014


Sobre o autor do Blog

Sérgio Ramos é Casado, pai, Radialista e Diácono evangélico, Militante do meio Radiofônico.Iniciou a profissão na Rádio cultura do nordeste S/A Caruaru - PE

Visualizações

Seguidores

FAÇA SUA DENUNCIA

FAÇA SUA DENUNCIA
Promotoria de Justiça – 3624-1956 Conselho Tutelar Surubim -3634-4656 S D S de Surubim – 3634-2710 Delegacia de Surubim – 3624-1974 Delegacia da Mulher – 3624-1983
back to top